jusbrasil.com.br
3 de Março de 2021

Inventario Extrajudicial E Judicial

Partilha de bens.

Ezequiel Tavares, Advogado
Publicado por Ezequiel Tavares
há 6 meses

O inventario é ato que desenvolve após a morte da pessoa natural, e que consequentemente deixa bens para ser partilhado entre os herdeiros.

O processo de inventario consiste basicamente de levantar todos os bens deixado pelo ‘de cujos’ e que assim ocorra à partilha que é a divisão de bens entre os herdeiros.

Podemos ter dois tipos de Inventario, o Judicial e o Extrajudicial.

INVENTARIO EXTRAJUDICIAL

O Inventario extrajudicial é conhecido pela sua rapidez visto que, não depende necessariamente de todos os procedimentos jurídicos que podem levar muito mais tempo para a sua resolução.

Para que posso ocorrer o inventario extrajudicial é preciso verificar os fatores que são; Não ter litigio, isso é, no caso de inventario no cartório não poderá os herdeiros estar em desacordo visto que, todos deverão estar de acordo com a divisão dos bens deixados pelo ‘de cujus’.

Outro fator que não pode ter na hora de fazer inventaria extrajudicial é que os herdeiros sejam menores de idade, isto porque o menor não responde por si mesmo e nesse caso o MP que deva resguardar os direitos da criança.

Nos demais casos, pode sim vim a fazer o inventario extrajudicial que será muito mais rápido do que feito na justiça.

INVENTARIO JUDICIAL

Para escolher fazer o inventario judicialmente, o advogado precisa vislumbrar dois vertentes;

As duas primeiras vertentes é justamente os requisitos que não cabem no inventario extrajudicial que é menor de idade e quando há litigio.

Quando há herdeiros menores ou incapazes e que há litigio o caminho a percorrer é sim o judicial, visto que se trata de incapaz e não há consenso entre os herdeiros.

Outro fator importante a perceber é referente ao financeiro visto que no Inventario Extrajudicial o valor a ser pago pelos herdeiros serão muito maiores do que se forem feitos no judiciário.

Mas claro, para isso os herdeiros devam provar em juízo que não tem condições de arcar com as custas processuais, demonstrando com documentos (ctps, holerite, imposto de renda, movimentação de conta bancária, etc.).

Então, para saber qual o melhor caminho a percorrer, é necessário primeiramente a contratação de um advogado que vai auxiliar os herdeiros nesse momento, e verificar qual o caminho mais benéfico para todas as partes.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)